• Prêmio Melhor Cidade
  • Prêmio Melhor Destino de Inverno
  • Prêmio Prefeito Empreendedor
  • Transparência na Internet
  • Travellers Choice

Gramado comemora 63 anos com retorno às raízes

Gramado comemorou 63 anos de emancipação dando provas de que a valorização dos produtores rurais e da agroindústria é parte importante do processo histórico e cultural que reconheceu sua vocação turística e sua hospitalidade. Durante mais de 12 horas de programação especial de aniversário, nesta sexta-feira (15), Gramado celebrou sua gente e homenageou as famílias daqueles que integraram o movimento emancipacionista do município, em 1954.

Prestigiando as diversas etnias que são as raízes da colonização, uma centena de cucas feitas por agricultores gramadenses formou o número 63 alusivo à história de Gramado, disposta em uma estrutura decorada com hortênsias, flor símbolo do município. As produtoras da Linha Marcondes, Mariana de Oliveira e Adriana Model, e os produtores da Serra Grande Alemã, Maicon Wingert e Claudio Tomazzi Schönardie, que integram a Associação de Fornos, entregaram as cucas nos sabores tradicional e chocolate logo pela manhã e, após o prefeito João Alfredo Bertolucci, o Fedoca, dar início oficial aos festejos do aniversário da cidade, os produtos puderam ser saboreados por cerca de 150 pessoas que prestigiaram o ato, contando com a presença de autoridades, comunidade e turistas. Cada cuca pesava em torno de 800 gramas, e foram necessárias mais de quatro fornadas para prepara-las.

Diariamente, durante os principais eventos da cidade, 11 grupos de produtores rurais comercializam os seus produtos na Praça das Etnias. O presidente da Associação, Zulmiro Bof, conta que, atualmente, famílias da Linha Nova, Linha Bonita, Linha Araripe, Campestre do Tigre, Quilombo, Tapera, Serra Grande, Serra Grande Alemã, Gambelo, Moreira, e Marcondes constituem os grupos que se revezam no local. “São cerca de 90 famílias do interior de Gramado, das colonizações alemã e italiana, que comercializam cucas, pães variados, pão de linguiça e de queijo, e biscoitos na praça”, explicou o presidente.

A chefe do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar e técnica social, Nelcy Frata Santiago, realça que é muito importante a valorização do agricultor para agregação de renda e elevação da autoestima. “Em tempos remotos, eles tinham vergonha de serem agricultores e de serem chamados de colonos. Mas, a partir da Festa da Colônia e da Associação dos Fornos de Gramado, começaram a entrar em contato com o gramadense e com o turista, e a autoestima começoua aumentar. Agora, se não participam das atividades, eles se sentem frustrados”, enfatizou.

Durante a comemoração colonial de aniversário, o prefeito Fedoca disse que tudo que se vê hoje na cidade é resultado da pujança do seu povo, e que o sucesso se deve ao trabalho dos seus fundadores e da sua comunidade. “Queremos agradecer aos gramadenses, que construíram a história de Gramado, uma história exitosa que resultou nessa beleza que é o nosso município nos dias de hoje. Devemos tudo isso aos precursores, aos fundadores, e àquelas pessoas que vislumbraram Gramado como um centro turístico, como uma terra boa de se viver”, salientou.

Valorização do interior e fomento à atividade agrícola

Os primeiros colonos de origem portuguesa se fixaram em Gramado em 1875 e, aos poucos, vieram os alemães e os italianos. A Linha Nova, terra que recebeu os imigrantes italianos, era onde se concentrava o 5º distrito de Taquara. Porém, em 1913, a sede distrital foi transferida para onde hoje é o centro da cidade. Para homenagear as famílias de agricultores, o prefeito Fedoca e a primeira-dama Bianca Bertolucci visitaram a localidade na sexta-feira (15), como parte da programação de aniversário da cidade.

“O nosso município, sem dúvida, começou no interior, e nosso projeto é resgatar a economia. Por meio de incentivos aos nossos produtores, queremos fomentar a atividade agrícola, de modo a propiciar estímulos para que as pessoas permaneçam no interior produzindo. Para esses 11 meses de governo, eu considero uma vitória fantástica a criação de mais de 30 agroindústrias que buscam, entre outras coisas, suprir a nossa merenda escolar ,que hoje vem praticamente toda das famílias gramadenses. Temos um canal permanente de diálogo para auxiliar os agricultores que querem se legalizar para fornecer os seus produtos ao mercado e, sobretudo, à rede de ensino municipal”, destacou Fedoca.

Hoje, em Gramado, 73% da merenda escolar do município é adquirida da agricultura familiar, uma parceria entre Prefeitura de Gramado, via secretarias da Educação e da Agricultura, com a Emater. Para 2018, mais produtos serão comprados, aumentando essa porcentagem. Também há um forte trabalho com os jovens para que estes deem continuidade à produção rural.

Durante as visitas, as famílias Negri, Brezolla, Rossa e Bertoluci mostraram um pouco do que é produzido em suas propriedades, herdadas de avós e bisavós. As jovens Franciele e Fernanda Negri, 24 e 17 anos, respectivamente, explicam que a família produz figo, milho, laranja e bergamota. “Quando me perguntam qual a minha profissão, digo que é a mesma dos meus avós: sou agricultora”, garante Franciele.

Descendentes de emancipacionistas são homenageados

A Rua Coberta voltou a sediar no final do dia as atividades especiais de aniversário da cidade. Descendentes daqueles que integraram o movimento de emancipação e lutaram pela independência política e administrativa de Gramado - Walter Bertolucci (presidente), Hugo Daros (secretário) e Eusébio Balzaretti (tesoureiro) – foram homenageados. A cidade de Gramado foi criada em 15 de dezembro de 1954, após emancipar-se de Taquara.

Ricardo Daros Franzen e Mauricio Daros Franzen (netos de Hugo Daros); Flávio Balzareti (filho de Eusébio Balzaretti); Aira Maria Balzareti (casada com o filho de Eusébio, Nailor Balzareti, in memóriam); e Arlete Bertolucci Guimarães (filha de Walter Bertolucci) subiram ao palco para serem saudados.

“Gramado tornou-se a referência que é hoje por causa de pessoas como essas, que fizeram com que a cidade se desenvolvesse de forma tão vitoriosa. Nossa comunidade e nossos visitantes são os responsáveis pelo nosso esforço em fazer com que Gramado continue encantando a todos”, disse o prefeito Fedoca, também filho de Walter Bertolucci.

A aluna Érika Carvalho, vencedora do concurso Poema para Gramado, lançado nas redes sociais da Prefeitura com o intuito de engajar a comunidade às comemorações de aniversário do município, proferiu a leitura do poema eleito por votação popular. Érika tem 10 ano, é estudante da Escola de Ensino Fundamental Senador Salgado Filho e integra o projeto Sapeca, promovido pela Secretaria da Assistência Social. A menina garante que gosta de ler e escrever e que, ao ser informada do resultado, deu pulos de alegria.

“De vez em quando eu escrevo poemas sobre romances e mistérios. É a primeira vez que eu escrevo algo para a minha cidade. O mais legal foi o parabéns das pessoas”, contou.

A historiadora Iraci Casagrande Koppe participou do ato na Rua Coberta pronunciando-se sobre a história de Gramado, os principais atos políticos e as conquistas da cidade. O padre Celestino Fritzen e os pastores Décio Oscar Saft e MarceloFiedler fizeram uma benção ecumênica. A cerimônia terminou com um concerto da Orquestra Sinfônica de Gramado, regida pelo maestro Bernardo Grims.

O vice-prefeito Evandro Moschem, a primeira-dama Bianca Bertolucci, secretários municipais e vereadores participaram das atividades de aniversário, como a comemoração colonial no início da manhã e as celebrações na Rua Coberta.