• Prêmio Melhor Cidade
  • Prêmio Melhor Destino de Inverno
  • Prêmio Prefeito Empreendedor
  • Transparência na Internet
  • Travellers Choice

Um novo conceito de futuro foi apresentado

Publicado em 09.08.2018

Modernizar, mas sem perder o encanto. Essa tem sido a busca incessante da Administração Municipal no que tange as estratégias para agregar melhorias à nossa cidade sem comprometer o que trouxe Gramado ao patamar atual. Ao encontro deste objetivo, na noite desta quarta-feira (8), foi apresentada à comunidade parte dos estudos da Agenda Estratégica de Desenvolvimento Sustentável e de Mobilidade Urbana, que projeta o município para as próximas três décadas.

“Temos que saber pra onde vamos. Qual é a expressão do nosso desenvolvimento. O que queremos para os nossos jovens. Hoje estamos dando início a esta semeadura. Espero que floresça, seja forte e definitiva na história da nossa cidade. A partir de um trabalho científico estamos encaminhando Gramado para os nossos filhos”, disse o Prefeito João Alfredo Bertolucci, o Fedoca, durante a abertura da exposição.

Criada em parceria com a Cepa Consultoria, o projeto visa atender desde pontos que Gramado precisa melhorar, como é o caso da mobilidade urbana, até a setores que devem ser mais desenvolvidos, como a internacionalização do turismo, a preservação das belezas naturais, e o fomento ao turismo rural e suas agroindústrias.

“Não é gratuita a escolha pela Cepa, uma empresa e profissionais, que têm visão de planejamento urbano. Chamamos de visão holística, pois veem todas questões que envolvem uma cidade, como as humanas, que são muito importantes. Aqui não temos um planejamento puramente técnico e de engenharia, como abrir ruas, e isso tem tudo a ver com Gramado e com que a gente pensa para essa cidade. Estamos concluindo a primeira etapa de um processo e há muitos desafios que virão, estes serão ainda maiores, como concretizar esta agenda e implementar tudo isso ao longo dos próximos anos. Esse é um grande desafio para a cidade, que consigamos perpetuar estas estratégias independente das futuras administrações”, destacou o Secretário de Planejamento, Urbanismo, Publicidade e Defesa Civil, Jeferson Zatti.

Durante oito meses, a comunidade teve a oportunidade de participar de três oficinas públicas, onde foram identificadas as dificuldades que se apresentam à nossa cidade e que, em um futuro próximo, podem se tornar insolúveis, e também onde foram propostas soluções para estes problemas.

Uma das grandes estratégias que a agenda traz é um Plano de Mobilidade Urbana. “Em julho de 2018, mais de 500 mil veículos ingressaram em Gramado, considerando uma média de três pessoas, dá mais de 50 mil passageiros por dia na cidade. Essa é a prova do sucesso e também o prenúncio da tragédia. A cidade não consegue mais se movimentar”, ressaltou o Prefeito Fedoca.

O Secretário de Trânsito e Mobilidade Urbana, Luiz Evando Sá Quevedo, salientou que a partir da implantação deste plano está se cumprindo um dos compromissos de campanha. “É uma noite histórica e especial. Estamos aqui apresentando uma proposta, um resultado de um trabalho que visa minimizar os problemas que diariamente enfrentamos nas nossas ruas. Esse é o momento de todos nós unirmos esforços para que a proposta seja discutida com sabedoria e serenidade, porque aqui está sendo definido o futuro da cidade de Gramado”.

Entre as ações elencadas pelo arquiteto e urbanista Dr. Ruben Pesci que está à frente do trabalho na cidade estão a continuidade da perimetral pelo Vale do Quilombo, a criação do terminal rodoviário turístico fora do centro da cidade subtraindo o fluxo de veículos na área central, a implantação de um plano cicloviário, bem como transformar parte da Avenida Borges de Medeiros e da Rua São Pedro em vias de mão única, retirando as vagas de estacionamento neste trajeto e humanizando os espaços com passeio público e ciclofaixas. Além disso, ainda está previsto a implantação de estacionamentos públicos na periferia da região central.

Segundo Pesci, a mobilidade é um grandíssimo problema durante alguns períodos do ano, em janeiro, julho e no Natal Luz, mas este não é o problema mais latente. “Eu vi esta cidade vazia durante muitos dias do ano, então algumas soluções que já estão previstas nesta agenda vão melhorar notavelmente a mobilidade urbana no centro, onde estão os maiores problemas. Mas o principal não é esse, há indícios de deterioramento da paisagem e para isso temos que refazer o Plano Diretor para que oriente as construções e urbanizações”, explica ele.

A Agenda Estratégica de Desenvolvimento Sustentável traz mais de 100 projetos para a cidade, porém na noite desta quarta-feira apenas uma súmula foi apresentada ao público que lotou o auditório Locatelli da FAURGS. “O processo realizado é uma forma de planificação moderna que se torna evidente por que ele foi chamado de Agenda e não de planejamento. Os conjuntos de estratégias, programas e projetos, com seus mapas e gráficos correspondentes, constituem um programa de ação, no tempo, de modo que são praticamente instrumentos de política governamental e governança para o setor privado. Os diferentes setores poderão encontrar na Agenda um guia para a aplicação na realidade, mas não um plano rígido. O guia pode ser atualizado periodicamente, observando-se o que foi aplicado, quais resultados foram obtidos e quais seriam os próximos passos mais apropriados. Esse conceito é muito mais moderno do que a ideia de um plano, essencial para produtos mais predeterminados (como a regulamentação do uso da terra e o plano de mobilidade), mas muito mais aberto a estratégias de governo e governança recomendadas pelas organizações internacionais de hoje”, frisou Pesci durante o evento.

Para o fomento do turismo, o arquiteto salientou que Gramado deve se tornar um modelo internacional seguindo a experiência de grandes cidades turísticas do mundo, e também deve ser pensada de forma regional. A criação do Parque das Orquídeas deve colaborar como mais um atrativo da cidade, corroborando com a implantação de teleféricos na sua altura e também voos de balonismo. Estas são algumas das ideias apresentadas na terceira estratégia da Agenda.

O Secretário de Planejamento frisa que a apresentação pública desta quarta-feira (8) foi uma breve explanação de todo conteúdo, que está distribuído em mais de 800 páginas, e que em cerca de 15 dias estará disponível para toda comunidade se inteirar.

Para Fedoca, esse projeto só tem sentido se a comunidade se apropriar. “Faço um apelo ao empresariado. Nós precisamos manter o Dr. Ruben Pesci aqui em Gramado mais um tempo para que ele nos ajude na formação de equipes e na capacitação das pessoas para a execução do projeto. Para isso, nós vamos precisar da atividade privada que vai ter uma contribuição não só através de estudos, opiniões, mas também financeiramente. A Prefeitura não pode dispender com ele, porque ela estaria submetida ao processo licitatório. Isso faz com que a gente esteja impedido. Por isso, contamos muito com a sociedade civil”, completou.

Outras propostas abordadas na agenda são a recuperação da paisagem natural e das áreas verdes, o desenvolvimento de eventos diferenciados a nível cultural, gastronômico, de turismo de natureza, e de eventos corporativos, apoio aos empreendedores turísticos e rurais, programas de habitação social e inclusão urbana, incentivo ao transporte público e interligação entre os bairros, parque tecnológico e distrito industrial, parque agrário, entre outros.

 

PRÓXIMOS PASSOS DA AGENDA

- Grande divulgação pública para que todo conteúdo desta agenda seja de conhecimento de todos cidadãos

- Capacitações dos setores que operam em Gramado

- Aprovação do projeto de lei da Agenda Estratégica e também do Plano de Mobilidade Urbana

- Fortalecimento do sistema de gestão da agenda

 

O QUE DISSERAM

Marcio Sorgetz, arquiteto e urbanista

“Eu já conhecia parte do projeto, pois participei de algumas atividades e ações. Ele é fundamental, é um excelente trabalho. Todo mundo sabe que Gramado está sofrendo há muito tempo e dependendo de ações públicas efetivas, e não só de empreendimentos particulares, residenciais, hoteleiros, que também fazem parte do município, mas é a questão de organizar a mobilidade urbana e da organização de crescimento, como a melhor qualidade de vida dos moradores. Essa administração da Prefeitura teve muita felicidade em trazer gente conhecida e competente de fora para poder ver a cidade com outro ponto de vista, outras características. A nossa visão talvez estava um pouco viciada. Algumas ideias são compatíveis com o que a gente sempre pensava, mas é aquela questão que o Prefeito Fedoca falou com toda certeza, temos que passar isso de qualquer maneira ao futuro dos nossos filhos, e como disse Secretário Zatti, eles dependem disso. A maior preocupação que tenho, até por uma certa experiência política, é a implementação do projeto, a comunidade que tem que ser beneficiada.”

 

Paulo Marques, presidente do Sindicato das Indústrias do Mobiliário da Região das Hortênsias (Sindmobil)

“Participei de todas as audiências, visando o nosso setor da indústria de Gramado, os chocolateiros, moveleiros, malharias. Foi ótima essa iniciativa do Prefeito em relação à mobilidade, mas pensando também no fomento das indústrias. No que acompanhamos descobrimos que no Carahá seria um bom ponto para nós termos um condomínio industrial. Tomara que dê tudo certo e vai dar certo, estamos apostando! Acredito que toda comunidade tenha que se apropriar desse projeto para o futuro nosso.”

 

José Carlos Silveira, presidente do Conselho do Plano Diretor

“Eu conheço o trabalho da Agenda, porque participei das oficinas na condição de presidente do Conselho do Plano Diretor. É o que nós precisávamos para montar um instrumento final da lei do PDDI. Hoje me pergunto se a lei vai fazer parte desse trabalho ou ele que vai ser a ferramenta do Plano? Mas isso não importa, o que interessa é que está muito bem-feito, com bastante critério e vai nos ajudar muito no desenvolvimento da cidade. Espero que realmente nós consigamos fazer bom uso dele. Vai ter os seus conflitos e nós temos que ter o altruísmo de superá-los, esquecendo as vezes alguns interesses particulares. Hoje Gramado peca com muitos investidores que olham para o umbigo e não deve ser assim. Esse trabalho nos dá um norte da melhor qualidade e a gente só vai ter total participação da comunidade quando ela tomar conhecimento. É impossível que as pessoas conheçam esse trabalho todo, de quase mil páginas.”

 

Manu Caliari, presidente da Câmara de Vereadores

“Fiquei muito feliz com a iniciativa do governo, porque realmente é planejamento e para fazer uma boa gestão, a gente tem que planejar as nossas ações. Embora nós já estejamos acompanhando o que está acontecendo na construção da agenda, foi importante ver o resultado final do estudo. Algumas dúvidas surgem e a partir de reuniões elas vão começar a ser sanadas, e a Câmara está a postos para construir com a comunidade os próximos passos desse projeto. Vamos ouvi-la! Com certeza esse é um projeto que vai ser construído a muitas mãos.”